domingo, 5 de outubro de 2008

A união com Cristo glorificado



Uma das afirmações mais marcantes, na Bíblia, foi feita pelo apóstolo Paulo, quando ele disse: "Desejo conhecê-lo, e o poder da sua ressurreição e a comunhão dos seus sofrimentos, conformando-me com ele na sua morte". Fp, 3.10 Paulo já havia conhecido a Cristo. Quando Paulo estava na estrada para Damasco, Jesus Se revelou a ele. A conversão de Paulo foi extraordinária. Ninguém pode negar que Paulo tinha conhecido Jesus. Por que, então, Paulo disse que queria conhecer a Jesus?
O desejo de Paulo de conhecer a Jesus pode ser comparado, de certa maneira, ao meu relacionamento com minha esposa. Por exemplo, quando eu a conheci, eu me apaixonei por ela e, mais tarde, nos casamos. Após nos casarmos, eu poderia dizer no sentido geral da palavra que eu "conhecia" minha esposa. Porém, hoje, 07 anos mais tarde, eu posso dizer "eu a conheço muito melhor agora". Eu a conheci 07 anos atrás. Mas, eu realmente a conheço agora. E eu quero conhecê-la mais. Quanto mais eu a conheço, mais eu a amo. É exatamente isso que Paulo está dizendo sobre seu relacionamento com Jesus. Ele conhecia Jesus. Ele amava Jesus. Mas, ele queria conhecê-Lo e amá-Lo mais.
Há três maneiras pelas quais Paulo queria conhecer Jesus e nós devemos, também, desejar conhecê-Lo dessas maneiras. Primeiro, ele queria conhecer Jesus no poder da Sua ressurreição. O mesmo Poder que levantou Jesus da morte está disponível para todo crente. Ninguém precisa ser derrotado. A Bíblia diz que fomos ressuscitados com Cristo Nos lugares celestiais. Somos vitoriosos por causa da ressurreição de Cristo. Ele derrotou todo inimigo conhecido da humanidade: pecado, morte, inferno e o maligno. Sendo assim, somos "mais do que vencedores". Paulo queria praticamente conhecer a Cristo em tal poder. Nossos corações devem, também, desejar conhecê-LO no poder da Sua ressurreição.
Mas, Paulo também queria conhecer a Cristo na comunhão de Seus sofrimentos. Muitos cristãos querem conhecer o poder de Deus, mas poucos querem conhecer os sofrimentos de Cristo. Porém, eu tenho visto que a profundidade do amor de Deus só pode ser experimentada meio ao sofrimento. Geralmente, é a dor que nos leva aos braços do Salvador. Conhecer a Cristo na comunhão de Seus sofrimentos não é algo para ser temido. Ao contrário, é um relacionamento com Deus que deve ser abraçado. Um autor colocou isso com muita aptidão: "Não desperdice os seus sofrimentos". Não somente suporte o sofrimento, mas o abrace e permita a Deus levá-lo a um conhecimento mais profundo Dele.
A última maneira pela qual Paulo queria conhecer a Cristo era por se identificar com Ele em Sua morte. A totalidade da vida cristã está em "despir-se do velho homem e vestir-se do novo homen". Para fazer isso, devemos morrer para nós mesmos. Paulo sabia que o conhecimento de Deus e um espírito de orgulho não poderiam habitar no mesmo coração. Quanto mais conhecemos a Deus, mais morremos a nós mesmos. É por isso que João Batista disse: "É necessário que Ele cresça, e que eu diminua" (Jo. 3:30). Conhecê-Lo é morrer para os nossos desejos e motivações egoístas.
A vida cristã vitoriosa é a que se dedica a conhecer a Cristo. Conhecê-Lo é amá-Lo. Que a graça do Senhor Jesus Cristo esteja sobre a sua vida. Amém!

Um comentário:

As Grandes Nescesidades do homem disse...

Pr. Francimar , que o glorioso amigo Espírito Santo continue lhe revelando que ele ( O Espírito Santo ) é o poder de Deus para operar milagres e maravilhas no seu lindo e atuante ministério , assim , como o evangélho é o único poder de Deus para salvação das almas perdidas.
O Espirito Santo é o poder que só os salvos tem . Um abraço e a paz do Senhor Jesus Cristo .