terça-feira, 23 de setembro de 2008

O Deus Criador


A Bíblia começa apresentando Deus como criador: “No princípio Deus criou os céus e a terra.” (Gn.1.1). Ser criador do universo é um predicativo exclusivo do nosso Deus. Os ídolos que existem por aí não criaram nada. Pelo contrário, eles mesmos foram criados por alguém. Os diversos espíritos, que são cultuados em várias religiões, não criaram nada, a não ser problemas nas vidas de seus seguidores. Só o Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó, o nosso Deus, é o Deus criador. Portanto, só ele é digno de ser adorado por todos os seres criados. Do primeiro capítulo de Gênesis, podemos extrair diversos ensinamentos sobre Deus e seu ato criador:
1 - O relato fala de um só Deus criando tudo. Isto anula a crença em vários deuses e a idéia de que cada um deles pudesse ter criado uma parte do universo.
2 - A criação foi realizada em seis dias. Daí entendemos que Deus tem um tempo determinado para efetuar suas obras. Existe o tempo de começar, o tempo de duração e o tempo de término ou consumação.
3 - Houve uma seqüência determinada para que a criação fosse acontecendo. Tudo foi surgindo na ordem certa. Imagine só, se Deus criasse primeiro os peixes para depois criar a água. Ele não fez assim. Existe uma lógica no que Deus faz. Não se trata da lógica humana, mas uma “lógica divina”, que, às vezes, não entendemos, mas que está de acordo com os rígidos padrões do criador.
4 - Ele deu nomes para as coisas criadas : céu, terra, lua, estrela, dia, noite, etc. Isto nos mostra que o Senhor não é Deus de confusão. Ele é organizado. É necessário que cada coisa tenha seu nome e esteja no seu devido lugar afim de que uma coisa não seja confundida com outra. Isto é importante, principalmente para não confundirmos o que é santo com o que é profano.
5 - Deus viu que tudo o que ele fez era bom. Tudo que Deus faz é bom. Até mesmo os castigos sobre seus filhos têm objetivo purificador. Essa bondade foi a marca de Deus colocada na criação. Foi um pouco do caráter divino que marcou o universo. No entanto, essa marca foi manchada quando o homem pecou. Daí em diante, a terra passou a produzir espinhos e a produção da lavoura passou a ser trabalhosa.
Vemos portanto, que o relato da criação é semelhante à ação de um maestro que, no uso de sua habilidade e direção, vai fazendo surgir uma grande variedade de sons que vão se combinando na mais linda harmonia. Por quê Deus criou o universo? Para que o próprio Deus fosse honrado, glorificado e louvado por suas criaturas. Vamos pois buscar a harmonia com o criador e viver para a sua honra. “Todo ser que respira louve ao Senhor. Aleluia!” (Sl.150.6).

Nenhum comentário: